dezembro 31, 2010

o natal passou, o ano hoje passará, eu também passarei.
melhor, desde logo, passo.

Portanto, o que se foi,
se volta, é feito morte.

Então por que me faz
o coração bater tão forte?

Posto isso, um dia
ei de encontrar-te

em alguma parte alguma
da vida.

Anúncios

poema de natal

dezembro 24, 2010

Fervo de vontade
Seco de desejo
Em mares de dor

Livrai-me de toda
Essa tortura
Que outrora
Alguém definira
Amor.

dezembro 20, 2010

Ora!
Poesia de amor
Não carece de forma.

A rima é casual
Arrepio natural
Um amor sem pudor
Original.

Se ao menos medisse o poeta
Quanta vida há nele represada
Não enxergaria sóis minguantes
Tampouco luas nubladas

E se para o mesmo rumo
Mirasse a moça das poesias
Contáveis seriam as estrelas
E mágicos, os nossos dias.

dezembro 7, 2010

Vi uma multidão
Em desespero, medo
Faltava uma resposta
Pra uma vida sem enredo

Você está em ruínas
Coração partido
Caminho estranho
Longo, perdido

Fora de controle
Besta auto-imune
Circo de agonia
Traidor impune

Você quer resposta
Qual que seja
Qualquer uma

Desperte desse coma
Qual é a pergunta?

dezembro 2, 2010

Vocês são todos malucos,
Eu, são.
Vocês estão loucos de amores,
Eu, não.