abril 21, 2010

Nem mais nem menos
Teremos.
De outras sortes
Me lembro.
Palavras lançadas
Ao vento.
O entendimento
Queremos.
Como meditação
Pensemos.
Em toda aflição
Oremos.

Paciência
É não prever o futuro
Mas criá-lo
Sê de todo justo
E amável
Prescindir ser doce
Adorável
Respirar amor
Dom mais notável

Todo verso
Volta versado
Todo encanto
Torna encantado
Toda mágoa
Vem magoada
Todo amor
Abençoado.

abril 11, 2010

Se clareia?
Incendeia!
Teu sorriso
Meu luar
Faz-me, à noitinha
Adormecer
E n’alvorada
Despertar

Teu sorriso
É coloridamente mágico
Fantástico
Suspiros e aplausos
Um espetáculo

Menina minha da Capitania de Minas
Centro sertão dos Campos de Cataguá
Sou quase como um bandeirante paulista
Encontrei ouro nas terras de lá

abril 5, 2010

Tutaméia não é assim
Tão pequeno quanto pensam
Lá eu conheci pequi
E passeei por goiabeiras

Borboletas quase mágicas
Colorido dos tucanos
Tem morro azul depois dos verdes
Limões e sonhos transbordando

No descampado, araticuns
Que se exibem à estrada
Caudalosas e aprazíveis
Eram as pinhas derramadas

Maracujás, caju e milho
Vivas flores e acerola
Nascem bosques de fascínio
E de inesquecíveis histórias

Se ao lá pisar vivo de encantos
Ainda que Alfredo não me note
Há um só sol me iluminando
Com raios que me apontam um norte

Cordisburgo não é “nonada”
Ao velho padre assistia razão
Se cidade natal não é
Cidade é do coração.